Os Melhores Filmes de 2010

Final de ano todo mundo fazendo suas listinhas, o Call me Hollywood não pode ficar fora dessa é fez uma lista com os melhores filmes que passaram pelos cinemas em 2010. Claro que não é lá coisa de crítico profissional, mas sinto confiante nas escolhas.

Preciosa – Uma História de Esperança

Claireece Preciosa Jones sofre privações inimagináveis em sua juventude. Abusada pela mãe, violentada por seu pai, ela cresce pobre, irritada, analfabeta, gorda, sem amor e geralmente passa despercebida. A melhor maneira de saber sobre ela são suas próprias falas: “Às vezes eu desejo que não estivesse viva. Mas eu não sei como morrer. Não há nenhum botão para desligar. Não importa o quão ruim eu me sinta, meu coração não para de bater e meus olhos se abrem pela manhã”.

Preciosa não podia faltar nessa lista. Sem dúvida um belo filme e uma verdadeira história de esperança. Realista, triste, marcante, intensa, forte. Preciosa tem bastantes cenas pesadas mas é um filme que tem que ser visto. Um dos mais chocantes e surpreendentes filmes de 2010.

Direito de Amar

George (Colin Firth) é um professor de inglês, que repentinamente perde seu companheiro de 16 anos. Sentindo-se perdido e sem conseguir levar adiante sua vida, ele resolve se matar. Para tanto passa a planejar cada passo do suicídio, mas neste processo alguns pequenos momentos lhe mostram que a vida ainda pode valer a pena.

História envolvente, grandes atuações, ótima direção e fotografia perfeita. Me encantei com a forma que Tom Ford trabalhou as mudanças de cores de acordo com os momentos e emoções.  Mesmo sentido falta de algo, não tiro o mérito de excelente filme.

A Origem

Dom Cobb (Leonardo DiCaprio) é um habilidoso ladrão, o melhor na perigosa arte da extração, o roubo de valiosos segredos das profundezas do subconsciente durante os sonhos das pessoas, quando a mente fica totalmente vulnerável. Essa rara habilidade de Cobb fez dele um cobiçado jogador nesse traiçoeiro novo mundo da espionagem corporativa, mas também fez dele um fugitivo internacional que perdeu tudo o que mais amava. Agora, uma chance de redenção foi oferecida a Cobb. Um último trabalho pode trazer sua vida normal de volta, mas somente se ele conseguir o impossível – inserção. Ao invés de fazer o roubo perfeito, Cobb e sua equipe de especialistas têm que fazer o oposto: a missão não é roubar uma ideia, mas sim plantar uma ideia. Se eles obtiverem sucesso, pode ser o crime perfeito. Mas nem mesmo um plano cuidadoso poderia prepará-los para um perigoso inimigo que parece prever cada movimento deles. Um inimigo que somente Cobb poderia prever.

Christopher Nolan se atreveu a sonhar um pouco mais, provando que não é preciso ser um remake ou uma sequência de grande bilheteria para fazer sucesso. A Origem é um filme bastante complexo, uma verdadeira caixa de quebra-cabeça. Vi muita gente confusa após assistir o filme, confeso que até eu fiquei. Há que considere como apenas mais um filme de ação, com um mistério a ser resolvido e pistas espalhadas ao longo do filme. Eu particulamente não acho. O filme é bastante inteligente, deslumbrante visualmente, cheio de maquinações complexas de conspiração e ótimas atuações.

Como Treinar o Seu Dragão

Soluço é um viking adolescente que não combina muito bem com a longa tradição de sua tribo de heróicos matadores de dragões. Seu mundo vira de cabeça para baixo quando ele encontra um dragão que desafia tanto ele quanto seus amigos a encararem o mundo a partir de outro ponto de vista.

Parecia apenas mais uma animação da DreamWorks. Como Treinar o Seu Dragão te conquista ao decorrer e demonstra um grande nivel de ação e emoção, algo que ainda não tinha visto nos filmes da DreamWorks. Quando Soluço encontra e faz amizade com um dragão ferido, o vínculo que se forma é um dos mais afetivos e emocionantes que vimos este ano. O final é um dos melhores.

Kick-Ass – Quebrando Tudo

Dave (Aaron Johnson) é um adolescente viciado em quadrinhos cansado de apanhar ou ser ameaçado. Até o dia em que ele resolve virar o super herói Kick Ass e mudar esta rotina. Como? Nem ele sabia, mas ao defender fantasiado de herói (e apanhando mais ainda) um cara que levava uma surra, o vídeo com as imagens dele enfrentando os bandidos foi parar na internet e ele virou um fenômeno. Dave só não contava que a sua fama iria envolvê-lo no meio de um plano de vingança de Big Daddy (Nicolas Cage) e Hit Girl (Chloe Moretz) contra Mark D’Amico (Mark Strong), um mafioso da cidade, vivendo uma verdadeira e violenta aventura que mudaria para sempre a sua vida.

Ultra-violência, divertido, pop. Kick-Ass já tem o status de cult. Um dos roteiros mas inteligente do ano. O elenco é maravilhoso. Nicolas Cage faz uma de suas grandes performances de 2010, e com certeza o grande destaque é Chloe Moretz, a garotinha arrasou como Hit Girl.

Toy Story 3

Andy (John Morris) tem 17 anos e está prestes a ir para a faculdade. Desta forma, precisa arrumar o quarto e definir o que irá para o lixo e o que será guardado no sótão. Seus antigos brinquedos, entre eles Buzz Lightyear (Tim Allen), Jessie (Joan Cusack) e o Sr. Cabeça de Batata (Don Rickles), são separados para serem guardados no sótão. Entretanto, uma confusão faz com que a mãe de Andy os coloque no lixo. Woody (Tom Hanks), que será levado por Andy para a faculdade, decide salvá-los. O grupo escapa, mas acaba no carro da mãe de Andy. Ela leva a uma creche diversos brinquedos, entre eles Barbie (Jodi Benson). Ao chegarem, os amigos encontram um universo até então inimaginável, onde os brinquedos sempre têm crianças para brincarem com eles.

Parecia ser improvável que Toy Story 3 pudesse ser quase perfeito como seus antecessores. Ele ainda é igual em todos os aspectos, mas sem dúvida, o amor, respeito e carinho foram o diferencial para o filme. Toy Story 3 é a soma de tudo o que a Pixar já fez de melhor, só que, melhor. Do primor técnico de Wall-E, da chuva de emoções que é Up. Da genialidade de Procurando Nemo ao respeito pela própria franquia Toy Story. Woody, e até mesmo Andy, nunca estiveram melhor. Uma sensibilidade impressionante, que emociona. Apesar de ser um filme em que a aventura dos brinquedos mais uma vez é o principal elemento, agora não é apenas sobre a ação e o perigo, mas também sobre o coração. Toy Story 3 deveria ter um aviso de que o filme contém cenas persistente de forte emoção e momentos para fazer um homem chorar.

Harry Potter e as Relíquias da Morte – Parte 1

Prestes a completar 17 anos, Harry Potter (Daniel Radcliffe) precisa ser transportado da casa dos seus tios, os Dursley, até um local seguro. Lorde Voldemort (Ralph Fiennes) e seus comensais da morte sabem que a transferência está prestes a acontecer e aguardam sua realização para atacar. Para que ela ocorra vários amigos de Harry, como Rony Weasley (Rupert Grint), Hermione Granger (Emma Watson), Remo Lupin (David Thewlis), Hagrid (Robbie Coltrane) e “Olho-Tonto” Moody (Brendan Gleeson), tomam a Poção Polissuco e assumem a forma física de Harry. A intenção é despistar Voldemort sobre quem é o Harry verdadeiro, de forma que ele possa chegar seguro à Toca, casa dos Weasley. A missão é bem sucedida, mas logo a situação se torna ainda mais perigosa. O Ministro da Magia Rufus Scrimgeour (Bill Nighy) é morto e, em seu lugar, assume um dos asseclas de Voldemort. Harry e seus amigos passam a ser caçados impiedosamente, obrigando que ele, Rony e Hermione fujam. Precisando mudar constantemente de lugar, eles elaboram um plano para encontrar e destruir as horcruxes que podem eliminar Voldemort de uma vez por todas.

Harry Potter e as Relíquias da Morte – Parte 1 não podia faltar nessa lista. É a melhor adaptação dos livros. Apesar de não ser meu favorito dos filmes, o qual é o Cálice de Fogo, as Relíquias da Morte é excelente. O filme não tem pressa e explora com excelência os momentos importantes da trama. Fotografia e partes técnicas são incríveis. Perfeito, maduro e sombrio. Harry Potter e as Relíquias da Morte – Parte 1 só me deixou mais ansioso para assistir a Parte 2. Não há dúvidas que a melhor decisão foi a divisão do filme, ele jamais teria sido tão fiel ao livro em apenas um. Tenho um carinho especial pelos filmes de Harry Potter por ter lido os livros e crescido junto com os personagens, e é tão bonito acompanhar o crescimento de franquia. Harry Potter tem tudo para ficar marcada como uma das maiores franquias de fantasia da história da sétima arte.

Tropa de Elite 2

Nascimento (Wagner Moura), agora coronel, foi afastado do BOPE por conta de uma mal sucedida operação. Desta forma, ele vai parar na inteligência da Secretaria de Segurança Pública do Estado. Contudo, ele descobre que o sistema que tanto combate é mais podre do que imagina e que o buraco é bem mais embaixo. Seus problemas só aumentam, porque o filho Rafael (Pedro Van Held) tornou-se adolescente, Rosane (Maria Ribeiro) não é mais sua esposa e seu arqui inimigo Fraga (Irandhir Santos) ocupa posição de destaque no seio de sua família.

Nunca imaginei que ia colocar Tropa de Elite na minha listinha de melhores filmes. Não é preconceito, eu assisto de tudo, só não é o tipo de filme que gosto de assisti. Mas me surpreendi com Tropa de Elite 2. Um filme ousado e corajoso. O seu sucesso só comprova como o cinema brasileiro está crescendo.

A Rede Social

Em uma noite de outono em 2003, Mark Zuckerberg (Jesse Eisenberg), analista de sistemas graduado em Harvard, se senta em seu computador e começa a trabalhar em uma nova ideia. Apenas seis anos e 500 milhões de amigos mais tarde, Zuckerberg se torna o mais jovem bilionário da história com o sucesso da rede social Facebook. O sucesso, no entanto, o leva a complicações em sua vida social e profissional.

Filme ágil, moderno e simples. Roteiro interessante com ótima construção de personagens. O que poderia ter sido “Facebook- O filme com Justin Timberlake” é transformado em uma tragédia grega geek nas mãos  do diretor David Fincher e o roteirista Aaron Sorkin. O assunto pode ser computadores, mas o que vemos são amizades desfeitas e colisões sociais. Jesse Eisenberg, Andrew Garfield, e sim, até Justin Timberlake, estão ótimos.

Scott Pilgrim Contra o Mundo

Scott Pilgrim (Michael Cera) tem 23 anos, integra uma banda de colégio, vive trocando de emprego e tem um namoro firme. Sua vida está maravilhosa, até conhecer Ramona V. Flowers (Mary Elizabeth Winestead). Ele logo se apaixona perdidamente por ela, só que não será fácil conquistar seu amor. Para tanto ele precisa enfrentar os sete ex-namorados dela, que estão dispostos a tudo para impedir sua felicidade com outra pessoa.

Junto com Kick-Ass foi uma das supresas em 2010. Uma história de amor em um alucinante ritmo de videogame. Baseado em quadrinhos homônimos de Bryan Lee O’Malley, o filme é um deleite para todo fã de HQs, games e cultura pop. Destacando mesmo o mundo dos games, além dos temas musicais de jogos clássicos, o desenvolvimento da trama é todo feito como um jogo. Nenhum filme causa a sensação de passar de fase como este. Uma das grandes trilhas sonoras do ano também.

About these ads

Sobre dan_nielborges

Caçador de músicas por natureza, fissurado em cinema e apaixonado por fotografia.
Esse post foi publicado em Notícias e marcado . Guardar link permanente.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s