Estreias da Semana

Millennium – Os Homens Que Não Amavam as Mulheres

Querendo se distanciar do que restou de um sentença por difamação, o jornalista Mikael Blomkvist se retira para uma ilha remota no extremo norte da Suécia onde o assassinato não solucionado de uma garota jovem ainda assombra seu tio industrialista quarenta anos depois. Escondido em um chalé na ilha onde o assassino ainda pode estar rondando, a investigação de Blomkvist o leva para os segredos e mentiras dos ricos e poderosos, e o coloca junto de uma aliada pouco convencional – A Tatuada, punk hacker, Lisbeth Salander.

Os Descendentes

Matt King (George Clooney) é um marido indiferente e pai de duas meninas, que é forçado a reexaminar seu passado e abraçar seu futuro depois que sua esposa sofre um acidente de barco em Waikiki. O trágico acontecimento acaba por aproximar Matt das filhas, que o ajuda na difícil decisão de vender um terreno herdado da família.

J. Edgar

Durante sua vida, J. Edgar Hoover viria a ser o homem mais poderoso nos Estados Unidos. Como chefe do F.B.I. (Federal Bureau of Investigation) por quase 50 anos, nada poderia impedi-lo de proteger seu país. Durante o mandato de oito presidentes e três guerras, Hoover travou batalhas contra as ameaças reais e iminentes, muitas vezes quebrando as regras para manter seus compatriotas seguros. Seus métodos eram ao mesmo tempo impiedosos e heroicos e seu mais cobiçado prêmio era ter a admiração do mundo.

Hoover era um homem que dava grande valor aos segredos – particularmente os dos outros – e não tinha medo de usar essa informação para exercer sua autoridade sobre as principais figuras da nação. Ciente de que conhecimento é poder e o medo representa oportunidades, ele usou ambos para ganhar uma influência sem precedentes e para construir uma reputação que foi ao mesmo tempo formidável e intocável.

Ele era tão cuidadoso na sua vida privada como na pública, permitindo que apenas um pequeno e selecionado grupo tivesse sua confiança. Seu colega mais próximo, Clyde Tolson, era também sua companhia constante. Sua secretária, Helen Gandy, que foi talvez a pessoa que mais conhecia os projetos de Hoover, se manteve fiel até o fim… e até depois disso. Somente a mãe de Hoover, sua inspiração e consciência, o abandonou; sua morte teve um efeito arrasador sobre o filho, que buscou seu amor e aprovação até o fim de seus dias.

Através dos olhos do próprio Hoover, J. Edgar explora a vida pessoal e pública e as relações de um homem que poderia distorcer a verdade tão facilmente como a defendia durante uma vida dedicada à sua própria ideia de justiça, muitas vezes seduzido pelo lado negro da força.

Precisamos falar sobre o Kevin

Eva é uma mulher bem-sucedida e tem uma vida feliz com seu marido, Franklin. Quando eles decidem ter um filho, ela deixa sua carreira de lado para cuidar do menino. Mas desde muito pequeno, Kevin se mostra uma criança difícil, que despreza todos ao seu redor, além de ter um relacionamento complicado com a mãe. Aos 15 anos, ele comete um ato irreparável de violência, destruindo a vida da família. Eva começa então a analisar sua vida, questionando sobre sua parcela de culpa pelas atitudes do filho.

Sobre dan_nielborges

Caçador de músicas por natureza, fissurado em cinema e apaixonado por fotografia.
Esse post foi publicado em Cinema e marcado , , , . Guardar link permanente.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s